| |

Anvisa libera aplicação de vacinas em farmácias

Com a nova resolução, qualquer estabelecimento de saúde vai poder fazer vacinação. 

A Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária - liberou a aplicação de vacinas em farmácias. Com a nova resolução, qualquer estabelecimento de saúde vai poder fazer vacinação. É preciso levar receita médica para as vacinas que são opcionais. Para as outras, do calendário básico, não é exigida receita. Mas é preciso pagar pelo produto.

Para poder oferecer e aplicar vacinas, o local deve ter uma identificação clara, para o consumidor, e obedecer as regras de qualidade e segurança, entre elas: ter licenciamento e inscrição no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, ter profissional legalmente habilitado, e instalações adequadas. As farmácias devem entregar uma carteirinha de vacinação para quem não tiver o documento, ou não levar.  

A fiscalização vai ser feita pelas secretarias estaduais e municipais de saúde. O serviço já era permitido no distrito federais e nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná.

Anvisa faz exigências

No Paraná, algumas farmácias já podem fazer a vacinação por conta de uma norma estadual, publicada há um ano. Os estabelecimentos estão se adaptando às exigências da vigilância sanitária. É preciso ter, por exemplo, uma sala exclusiva com uma câmara refrigerada, própria para armazenar vacinas, que mantenha a temperatura entre 2 e 8 graus. As orientações agora vão ser iguais em todo o país.

A grande vantagem dessa norma da Anvisa é padronizar essas exigências para o Brasil inteiro para que não tenhamos realidades diferentes”, explica Paulo Santana, chefe da Vigilância Sanitária do Paraná.

No paraná, ainda são poucas farmácias que oferecem a vacinação. A maior procura foi pela vacina da gripe, no início do inverno.  Segundo a Associação Brasileira de Farmácias e Drogarias, hoje, trinta e seis mil postos do sus e sete mil clínicas particulares aplicam vacinas. Com a permissão da Anvisa, esses números poderão ser ampliados, caso as setenta e quatro mil farmácias do país cumpram as novas determinações.

“Vai dar opção para a população se vacinar em locais de fácil acesso, que são as farmácias, se previnam de doenças e também pela questão dos custos, isso pode fazer com que os custos da vacinação sejam diminuídos na medida que vai ter mais concorrência", explica o gerente do Conselho Regional de Farmácia do Paraná, Jackson Rapckiewicz.

A resolução que autoriza a vacinação nas farmácias deve ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

(14/12/2017)

 

Fonte: Globo.com

 

 

Pin It

DEIXE SEUS COMENTÁRIOS

Publicar comentário como convidado

0
  • Nenhum comentário encontrado

NO FACEBOOK