VOCÊ SABE O QUE É TROMBOSE VENOSA PROFUNDA?

 

Autor: Dr. Eduardo Ramacciotti 

Professor Assistente da Faculdade de Medicina do ABC – Santo André – SP

Coordenador do Projeto Trombose Venosa Profunda da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia vascular 

 

O QUE É TROMBOSE?

 

                             Quando nos ferimos, o sangue que sai da veia coagula (forma uma “rolha”, o coágulo) rapidamente para evitar maior perda de sangue. Este é o processo normal. Quando esse coágulo se forma dentro de um vaso sangüíneo (artéria ou veia),  ocorre o que chamamos de trombose, ou seja, a formação de um coágulo ou um trombo, como é melhor conhecido, dentro do vaso, e isso é prejudicial. Aqui vamos falar da trombose que ocorre nas veias profundas das pernas, a Trombose Venosa Profunda (TVP), que chamaremos simplesmente de trombose daqui para a frente.

 

QUE TIPO DE TROMBOSES EXISTEM NAS VEIAS DAS PERNAS?

 

                             Quando a trombose ocorre nas veias superficiais da perna é chamada de varico-trombose. Este tipo de trombose é fácil de ser notada, pois ocorre vermelhidão, endurecimento e dor no local, e é também de tratamento mais simples. Quando a trombose ocorre nas veias profundas das pernas, aquelas que ficam nos músculos, chamamos de Trombose Venosa Profunda (TVP), e este tipo, na maioria das vezes, não é facilmente diagnosticado. Em alguns casos, a doença  pode levar à morte se não for tratada.

 

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA TROMBOSE?

 

                             Os sintomas mais freqüentes da trombose são:

-          dor intensa , inchaço e endurecimento da perna com aumento da temperatura;

-          palidez e coloração azulada (em casos mais graves).

 

 

O QUE A TROMBOSE  PODE CAUSAR?

 

                             O trombo inteiro ou parte dele pode se soltar e seguir para o coração e para os pulmões pela corrente sangüínea. Quando uma parte do trombo chega aos pulmões, ocorre a embolia pulmonar (EP), que poderá levar a pessoa à morte imediata, dependendo do tamanho do trombo. Outra consequência  da trombose, é o fato do trombo que se formou na perna continuar a crescer lesando as válvulas das veias. Estas válvulas evitam que o sangue fique retido nas pernas e quando elas são danificadas, o sangue que deveria ser impulsionado para o coração, fica acumulado naquela região. Desta forma, os e sintoma são: perna inchada e inflamada, dor e úlceras varicosas. Estas úlceras podem ser agravadas por infecções (erisipelas).  

POR QUE AS PESSOAS DESENVOLVEM A TROMBOSE?

 

    Porque determinadas pessoas possuem fatores de risco para adquirir a doença, ou são submetidas a situações de risco que causam a mesma?

    Aqui vamos citar alguns fatores de risco que o próprio indivíduo pode possuir e também algumas condições clínicas nas quais ele pode se encontrar e que representam risco de trombose:

-          idade (maior de 40 anos)

-          obesidade;

-          indivíduos que já tiveram trombose;

-          imobilização (indivíduos que ficam confinados na cama, em casa ou no hospital por alguma doença);

-          câncer;

-          insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio;

-          gravidez;

-          uso de anticoncepcional, infecção e doenças que causam alterações da coagulação (de causa genética ou adquirida).

Além disso, as cirurgias são consideradas um dos fatores mais importantes quando se fala em risco de desenvolver trombose, principalmente as de grande porte e de longa duração. (ex: cirurgias ortopédicas e abdominais).

Você sabia que:

-          Um paciente que for submetido a uma cirurgia ortopédica (quadril/joelho) tem chance de até 80% de desenvolver trombose após a cirurgia?

-          Os pacientes com câncer têm risco de 20% de desenvolverem trombose em algum momento da sua vida e se forem operados este risco pode chegar até 70%?

A trombose é muito mais freqüente do que imaginamos! Devemos considerá-la uma doença grave e que deve ser evitada!

 

COMO A TROMBOSE PODE SER EVITADA?  

 

-          Levantando e andando precocemente após as operações;

-          Movimentando as pernas dos pacientes acamados;

-          Usando meias elásticas no pré e pós-operatório;

-          Utilizando o método de compressão pneumática com uso de aparelhos (em alguns casos);

-          Utilizando anticoagulantes em doses baixas (ex: heparina) em pacientes considerados de médio ou alto risco para o desenvolvimento da doença.

 

COMO UMA PESSOA DESCOBRE QUE TEM TROMBOSE?

 

    Em primeiro lugar, precisa sempre estar atenta aos sintomas e sinais da doença e assim que eles aparecerem procurar imediatamente seu medico. O médico fará alguns exames especiais para se certificar que o quadro clínico é trombose. Existem vários exames disponíveis atualmente: dúplex-ultrassom, pletismografia, ressonância nuclear magnética e eventualmente a flebografia.

 

COMO SE TRATA A TROBOSE?

 

    O tratamento mais indicado e mais comum para a trombose venosa profunda é com anticoagulantes. Como já discutimos, a trombose venosa profunda se caracteriza pela formação de trombos (coágulo) no interior das veias. Desta forma, estes medicamentos tem como função impedir que o trombo continue progredindo evitando os riscos das complicações da doença. O tratamento se inicia com um anticoagulante chamado heparina. Este medicamento é administrado no hospital, de modo contínuo gota a gota na veia ou com bomba de infusão e com a realização de constantes exames laboratoriais  para que a dose do medicamento seja controlada. Atualmente, pode-se também utilizar a heparina de baixo peso molecular, com aplicações subcutâneas, dispensando a necessidade de exames laboratoriais e permitindo, em muitos casos, o tratamento em casa, sem a necessiadde de internação.

    O tratamento com heparina é seguido pelo tratamento com anticoagulante oral, que como o próprio nome diz, é um medicamento administrado por via oral durante 3 a 6 meses ou até por mais tempo, conforme orientação médica.

 

HÁ OUTROS TRATAMENTOS PARA A TROMBOSE?

 

    Sim, o uso de medicamentos “fibrinolíticos” que destroem o trombo. São porém pouco utilizados no nosso meio pelo seu alto custo e devido a reações hemorrágicas que podem provocar. Há também a cirurgia que retira o trombo. É reservada para casos especiais, como aqueles de trombose com o risco de gangrena (necrose). Há ainda, o tratamento através da colocação de filtros na veia maior e mais próxima do coração, a veia cava. Estes filtros deixam escoar o sangue, mas impedem a passagem dos trombos para o pulmão. Sua maior indicação são as tromboses e embolias pulmonares de repetição ou nos casos de contra-indicação dos anticoagulantes.  

 

RECOMENDAÇÕES

 

Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento de seu médico.

Procure seu médico sempre que houver dúvida sobre algum medicamento

 

 

 

GUIA DE TRATAMENTO DOMICILIAR COM HEPARINA DE BAIXO PESO MOLECULAR (HBPM) 

 

COMO USAR HEPARINA DE BAIXO PESO MOLECULAR (HBPM)?  

 

COMO EU REALIZO A AUTO-INJEÇÃO DE HBPM?

 

    Você deve receber as instruções de seu médico sobre o uso correto de HBPM e a técnica correta de utilização antes de aplicar a injeção em você mesmo pela primeira vez. Se você tiver quaisquer perguntas sobre o medicamento ou como fazer a auto-administração apropriadamente, por favor entre em contato com seu médico.

 

 

DEZ ( 10) PASSOS A SEREM SEGUIDOS PARA A APLICAÇÂO DE HBPM:  

 

1.       Lave bem suas mãos com sabão e água. Seque suas mãos. 

2.       Sente-se ou deite-se numa posição confortável de modo que você possa facilmente ver a área de seu  abdômen onde você aplicará a injeção. Um sofá, encosto ou cama (escorado em travesseiros) é o ideal. 

3.       Escolha uma área do lado direito ou esquerdo do seu abdômen, distando pelo menos 5 cm de seu umbigo, lateralmente.

 

LEMBRE-SE:

 

Não aplique o produto dentro de uma área inferior a 5cm em relação ao seu umbigo ou próximo a cicatrizes ou machucados. Alterne o local de injeção entre o lado esquerdo e direito de seu abdômen a cada aplicação.

 

4.       Limpe a área que você escolheu para a sua injeção com um pedaço de algodão com álcool. Deixe a área secar.  

5.       Enquanto a área esta secando, retire cuidadosamente a capa da agulha da seringa de HBPM e a descarte. 

       A seringa já contém o medicamento e está pronta para ser usada. 

 

Não aperte o êmbolo antes da injeção para eliminar a bolha de ar ou o medicamento poderá ser perdido. 

 

Para manter a agulha estéril depois de você ter  removido a capa, não a abandone ou a toque.

Lembre-se:

 

Peça orientação ao seu médico em relação à posologia correta e consulte a tabela no final deste manual.

 

6.       Segure a seringa com a mão que você usa para escrever (como um lápis) e com a outra mão prenda delicadamente a área que foi limpa de ser abdômen entre seu polegar e o dedo indicador para fazer uma dobra na pele. 

Certifique-se de segurar a dobra da pele durante a injeção. 

 

7.       Insira verticalmente toda a agulha (num ângulo de 90º) dentro da dobra de pele. 

8.       Empurre o êmbolo lentamente. Isto fará com que o medicamento penetre no tecido gorduroso de seu abdômen. Certifique-se de segurar a dobra da pele durante a injeção. 

9.       Remova a agulha puxando-a de uma vez. Agora você pode soltar a dobra da pele.  

Para evitar hematomas, não friccione o local da injeção depois da aplicação. 

10.    Descarte a seringa usada, conforme orientação médica. 

 

PERGUNTAS SOBRE HEPARINA DE BAIXO PESO MOLECULAE (HBPM)  

 

ONDE DEVO GUARDAR AS SERINGAS DE HBPM?

-  As seringas pré-enchidas de HBPM devem ser guardadas num local seguro, em temperatura ambiente e ao abrigo da luz.

 

ONDE DEVO DESCARTAR AS SERINGAS USADAS DE HBPM?

-  A remoção das seringas e agulhas são controladas por lei. Peça orientação ao seu médico de como proceder.

 

POR QUE EU PRECISO CONTINUAR TOMANDO HBPM EM CASA?

-  Como você já deve ter lido no Folheto sobre Trombose, a Trombose Venosa Profunda se caracteriza pela formação de trombos (coágulos) no interior das veias. Desta forma, a continuação do tratamento em casa tem como objetivo impedir que este (s) trombo (s) continue (m) progredindo evitando os riscos das complicações da doença. Portanto, siga corretamente as orientações de seu médico para que obtenha sucesso em seu tratamento.

 

POSSO UTILIZAR HBPM COM OUTROS MEDICAMENTOS?

-          Enquanto você estiver utilizando HBPM, é importante não tomar nenhum outro  medicamento que interfira na ação do produto ou que possa causar algum efeito somatório no seu organismo. Por exemplo: salicilatos e antiinflamatórios não esteróides (AINE), ticlopidina, dipiridamol, dextran, heparina, anticoagulantes orais,  trombolíticos e glicocorticóides sistêmicos. Peça ao seu médico informações sobre esses medicamentos.  

Obs: Se você for a outro médico enquanto estiver usando HBPM, certifique-se de informá-lo que você está usando o produto.

 

QUAIS SÃO OS EFEITOS COLATERAIS DE HBPM?

-          HBPM, como todos os medicamentos, pode causar alguns efeitos colaterais. Portanto, é importante avisar seu médico se você notar qualquer um dos seguintes efeitos:

-          Sangramento ou exsudato (secreção) de sua ferida (caso você tenha sido submetido a uma cirurgia recentemente);

-          Qualquer outro episódio de sangramento; por exemplo, sangramento no local da injeção, sangramento nasal, sangue na urina, ou se você tossir ou vomitar sangue;

-          Dor ou inchaço em qualquer parte de sua perna, pé ou quadril;

-          Vertigens, entorpecimento ou formigamento;

-          Batimento cardíaco acelerado ou atípico.

 

Lembre-se de procurar nos locais prévios das injeções por: vermelhidão, dor, calor, inchaços, descoloração da pele ou secreção, que podem ser sinais de infecção ou reação da pele. Se você notar qualquer um dos sinais listados ou qualquer sinal atípico, contate o seu médico.

 

 

QUAIS OS CUIDADOS QUE DEVO SEGUIR DURANTE O TRATAMENTO COM HBPM?

  -          Aplique apenas o número de injeções de HBPM prescritos pelo seu médico.

-          Aplique HBPM nos mesmos horários todos os dias;

-          HBPM nunca deve ser aplicado no músculo;

-          Se você esquecer de aplicar alguma dose do medicamento, entre em contato com seu médico;

-          Se você suspeitar que utilizou uma dose maior de HBPM do que aquela prescrita pelo seu médico, entre em contato com ele imediatamente.  

OBS: É importante que você utilize o formulário, que se encontra encartado neste manual, para o controle de seu tratamento.  

LEMBRE-SE:  

-          HBPM não deve ser dado a nenhuma outra pessoa além daquela para quem o medicamento foi prescrito;

-          Se outra pessoa for lhe aplicar as injeções, certifique-se de que esta pessoa esteja com você quando receber as instruções de seu médico;

-          Sempre mantenha HBPM fora do alcançe das crianças;

-          Depois de ter lido este guia de orientação, se você tiver alguma dúvida sobre HBPM ou sobre seu modo de aplicação, fale com seu médico.

 

POSOLOGIA: No tratamento da TVP: 1mg/kg SC a cada 12 horas. 

EXEMPLO:  

Peso do Paciente

Dose

50Kg

50mg ou 0,5ml

60Kg

60mg ou 0,6ml

70Kg

70mg ou 0,7ml

80Kg

80mg ou 0,8ml

90Kg

90mg ou 0,9ml

100Kg

100mg ou 1,0ml

FREQÜÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO:

A cada 12 horas  

 

 

PROGRAMAÇÃO DIÁRIA DE APLICAÇÂO DE HBPM

Programa de Tratamento Domiciliar  

Aplicar durante......................dias                               Dosagem.................................  

Dia

Data de início

Horário manhã

Horário Tarde/Noite

Marque o lado da aplicação Lado esquerdo Lado direito

1

 

 

 

 

 

2

 

 

 

 

 

3

 

 

 

 

 

4

 

 

 

 

 

5

 

 

 

 

 

6

 

 

 

 

 

7

 

 

 

 

 

8

 

 

 

 

 

9

 

 

 

 

 

10

 

 

 

 

 

11

 

 

 

 

 

12

 

 

 

 

 

13

 

 

 

 

 

14

 

 

 

 

 

15

 

 

 

 

 

16

 

 

 

 

 

17

 

 

 

 

 

18

 

 

 

 

 

19

 

 

 

 

 

20

 

 

 

 

 

21

 

 

 

 

 

 

 

CLEXANE  é marca mundial de HBPM  de AVENTIS PHARMA LTDA

 

Serviço de Atendimento ao Consumidor Aventis Pharma – Fone: 0800 168040